Cobertura cambial (Hedge)

Cobertura cambial ou hedge

Cobertura cambial (Hedge)

O Hedge conhecido também como cobertura cambial, consiste em uma operação para proteger valores de determinados ativos para venda ou compra futura.

Assim as empresas têm os valores que desejam receber ou pagar fixados em determinada operação.

O que significa e o que é o Hedge?

O Hedge é uma operação que visa proteger os potenciais riscos que a oscilação do mercado financeiro pode causar. E pode ser traduzido como segurança ou cobertura, e em como finalidade a proteção de investimentos financeiros das variações de valores de um ativo, assim reduzindo seu risco, como dito anteriormente. A ideia é minimizar ao máximo as perdas de dinheiro com as variações do dólar em exportações e importações, negociações nas bolsas de valores e investimentos no exterior.

Essa prática surgiu em meados do século XIX, como maneira de fixar os valores de commodities, assim limitando o risco que pudessem acontecer pelos agricultores. Nesse então, o instrumento era denominado de “cerca e limite”.

Conceito da cobertura cambial

Para muitas empresas e investidores, o hedge é a alternativa principal para ter uma margem de segurança financeira garantida, pois tem como finalidade cobrir as operações realizadas quando existir diferença nas cotações das moedas.

É um instrumento regulamentado pelo Conselho Monetário Nacional, podendo ser aplicado somente em circunstâncias em que o negócio da empresa ou profissional sejam realmente protegidos. Essa estratégia não pode ser utilizada com finalidade especulativa.

O Hedge pode ocorrer de diversas formas como as negociações com base no mercado futuro são práticas comuns para evitar que aconteça uma variação do dólar.

O mercado futuro é aquele mercado que realiza uma previsão da cotação do dólar nas próximas semanas e meses. As operações utilizam essa estimativa para o montante de uma compra, venda ou rendimento de uma negociação a longo prazo.

Fazer um Hedge cambial é importante, por que?

As empresas que operam no mercado internacional, são as que estão mais expostas as mudanças. Por isso foi lançado mão dos instrumentos derivativos para realizar o hedge cambial e minimizar esses riscos.

Realizando um Hedge de câmbio bem feito, as mudanças no preço justo na relação entre as moedas compensarão parcial ou totalmente as alterações nos fluxos de caixa que vêm dos derivativos.

Nesse tipo de contrato pode ser usado o SWAP, que é a troca de índices (indexadores), que muda a rentabilidade quando aplicado no investimento

Hedge cambial e suas estratégias

Existem algumas estratégias na prática que podem auxiliar as empresas nas estratégias de proteção, tais como:

  • Fundo cambial: oferece a garantia que o investidor ou a empresa possa depositar seus recursos em um fundo. Podendo dessa forma acompanhar a cotação do mercado em tempo real de maneira segura.
  • Compra e venda: a empresa ou o investidor terá o direito de comprar alguma coisa no futuro com o valor do dia de hoje. Seria como que se a coração da moeda fosse paralisada em um panorama favorável ao negociador.
  • Mercado futuro: a empresa ou investidor tem acesso pela bolsa de valores, onde pode acompanhar as cotações e variações em tempo real.
  • Contrato a termo de moeda: consiste em um contrato no qual o valor da cotação é fixado para quando o importador ou exportador quiser comprar ou vender no futuro.

No caso da empresa ou investidor ter uma carteira concentra em ativos internacionais o tornará exposto ao risco do câmbio. Dessa forma precisará fazer uso do hedge cambial para proteger de uma possível volatilidade.

Mercado financeiro e as variedades de hedge

Como mencionado anteriormente o hedge é uma operação que visa proteger os investimentos de diversos ativos.

As diversidades de hedge fazem menção, aos ativos onde se pode aplicar a estratégia de proteção. Cada variedade de hedge tem uma função e objetivo diferente.

Hedge e SWAP

O swap cambial como mencionado anteriormente é a troca de índices. Sendo um contrato de câmbio em que a parte interessada compra o direito de aquisição do dólar com a taxa atual, sendo que essa compra será realizada somente no prazo de vencimento do contrato indexado ao câmbio. Dessa forma a instituição financeira compromete-se a garantir a taxa de câmbio a esse preço para o comprador (cliente) assumindo para si o risco da variação do câmbio.

O hedge e o swap não são iguais, o swap é apenas uma das formas de fazer uso do hedge para se proteger.

Commodities e hedge

O hedge comumente mais utilizado é o hedge m commodities, que tem como objetivo evitar que ocorra riscos de movimentação de oferta e demanda, impedindo que os resultados de mercado sejam afetados com a imprevisibilidade.

Esse tipo de hedge se dá a partir de contratos futuros, onde os produtores juntamente com seus compradores estabelecem um valor fixo, que será pago somente no futuro (assim como a entrega dos produtos). Evitando que ocorra uma queda nos valores em caso de grande oferta.

A estratégia oferece também vantagens ao mercado, evitando que a escassez coloque os preços das commodities em demasiada alta.

Hedge natural

Usado nas ações de empresas exportadoras que tem ativos ou que operam em dólar. Em uma potencial desvalorização da moeda nacional as ações dessas empresas irão subir, já que sua receita é formada de recebimentos em moeda estrangeira.

O investimento em empresas estrangeiras se torna uma forma indireta de realizar a proteção, onde ocorre o equilíbrio de potenciais prejuízos.

O hedge nas ações

Esse tipo de hedge serve para evitar grandes perdas com a volatilidade dos seus investimentos na renda variável.

Um meio de realizar a proteção é comprar ações nas quais os indicadores se beneficiem com o movimento do mercado. Por exemplo: ações General Motors, ações Bayer, ações Exxon Mobil são altamente influencias pelas flutuações cambiais

Como podemos ver o hedge é um instrumento que protege contra os riscos das variações de mercado em especial nas flutuações de valores do câmbio e das commodities. Mesmo sendo uma importante estratégia o hedge não se aplica a qualquer investimento ou pessoa.

Também é importante saber que os contratos de hedge não eliminam todos os riscos que o mercado oferece, eles reduzem ou tornam mínimos os riscos, mas não abrange todas as situações de risco e oscilações.

Para os setores com alta volatilidade como o agronegócio o hedge é essencial. De maneira geral, o hedge consiste em um instrumento de diversificação de investimentos de alto risco sem se atrever a sofrer grandes perdas.